O case Havaianas, 15 anos depois

17/03/2009

A muitíssimo bem-sucedida reviravolta empreendida pela Alpargatas com o carro-chefe de seu portfólio

 

Duvido que exista um case de marketing tão conhecido quanto o das Havaianas. A história é de domínio público: sandália popular reformula sua estratégia de marketing e passa a ser objeto de desejo da classe média. Perde o estigma de produto voltado para pobres e se torna um item de moda.

 

Em 2009, completam-se 15 anos da muitíssimo bem-sucedida reviravolta empreendida pela Alpargatas com o carro-chefe de seu portfólio.

 

Em artigo veiculado no site Mundo do Marketing em meados do ano passado, comentei o case Havaianas. Basicamente, entendo-o como um processo de reposicionamento em três etapas:

 

  1. Rompimento com o posicionamento anterior, de caráter funcional (“não deformam, não soltam as tiras e não têm cheiro”);

  2. Busca de fontes de legitimação externa para o novo posicionamento, de caráter simbólico (através do uso de celebridades na propaganda); e

  3. Uso do contexto cultural para proposição de um novo posicionamento (valorização da informalidade, inclusive na moda).

 

Para quem quiser dar uma espiada no artigo: Upgrade de marca: os cases Havaianas e Colcci

 

Share on Facebook
Please reload

© 2017 André D'Angelo - Criado pela Balz Comunicação.

  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook - Black Circle