Yes, you can

03/02/2009

Ídolo americano endossa produto barato e garante o acesso dos mais pobres a bens simbólicos

 

Até meados do século 18, vigoravam na Europa as “Leis Suntuárias”. Eram leis que determinavam que tipo de mercadoria cada classe social poderia consumir.

 

A sociedade de consumo atual rejeita completamente pré-imposições desse tipo; restrições ao consumo são, no máximo, de ordem econômica, jamais institucionais.

 

O resultado é uma sociedade mais democrática, mas também mais sujeita à frustração. Afinal, todos podem desejar tudo, mas só alguns conseguem concretizar de fato seus desejos de consumo. E se para um adulto já é difícil lidar com esse sentimento, que dirá para uma criança ou adolescente.

 

Foi justamente pensando nessa situação que, dois anos atrás, o jogador de basquete Stephon Marbury resolveu subverter a lógica reinante no mercado de tênis esportivos dos EUA. Ao invés de assinar contrato com uma das gigantes do setor, como Nike, Adidas e Reebok, e endossar um calçado cujo preço ficaria em torno de US$ 200, Marbury optou por lançar seu próprio tênis em parceria com uma rede de magazines, cobrando módicos US$ 15 o par.

 

A intenção: tornar o produto acessível às crianças e aos adolescentes mais pobres, incapazes de gastar centenas de dólares em itens esportivos endossados por ídolos.     

O resultado foi animador: 3 milhões de pares em dois meses e uma coleção de produtos baratos com a assinatura do jogador.

 

Pensando exclusivamente em termos econômicos, é de supor que Marbury tenha compensado a margem de lucro unitária menor com o volume de vendas, transformado sua empreitada em prol de tênis acessíveis em um bom negócio.

 

Mas é possível ser mais generoso e ver sua atitude como um serviço de utilidade pública, uma vez que disponibiliza aos mais pobres bens simbólicos antes acessíveis só aos mais ricos.

 

Ou, dito de outra maneira: rompe com as Leis Suntuárias contemporâneas que, se não sobrevivem como decreto, persistem sob a forma do preço.
 

Share on Facebook
Please reload

© 2017 André D'Angelo - Criado pela Balz Comunicação.

  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook - Black Circle